Artigos
Modulação Imunológica e o Pensamento Médico Chinês

Modulação Imunológica e o Pensamento Médico Chinês

Por Matheus Almeida

 

Esse artigo não tem o intuito de ser nenhum escrito científico ou ser publicado em nenhuma revista, o intuito fundamental é a disseminação da informação a cerca do sistema imunológico fazendo um paralelo com a visão da medicina chinesa. A base desse artigo é a minha própria experiência clínica e os estudos que tanto me debruço.

Minha formação primária é em fisioterapia, que muito agradeço por me trazer a noção da ciência e da medicina ocidental. Minha carreira é levada aos trilhos da medicina chinesa que estudo com muito afinco a pelo menos 12 anos e a esta medicina devo muitos benefícios para minha vida, em especial, a forma de encarar os acontecimentos.

Penso que um dos papéis fundamentais do agente de saúde é informar e capacitar os indivíduos, e depois disso buscar a cura em conjunto. O conhecimento deve ser difundido e divulgado de maneira correta e segura. Frente a isso peço desculpas por não apresentar nesse artigo citações, bibliografias, ou artigos, pois dada a necessidade e urgência da situação em que vivemos pela pandemia do covid19 penso que é hora de difundir informações o quanto antes.

Peço desculpas, igualmente, se existir algum erro de português ou se alguma idéia ficar confusa, não estou submetendo esse artigo para revisões como um artigo normalmente pede.

Bom vamos ao que interessa.

Fala-se muito de imunologia nesses últimos meses, fala-se mais do que nunca a contar o meu tempo de vida. Tenho lido muitos equívocos e isso me estimulou a escrever esse pequeno artigo.

Todos nós sabemos que o que defende nosso corpo são as células brancas a dizer: basófilos, eosinófilos, neutrófilos, mastócitos, monocitos, macrófagos, células dentríticas como células fagocitárias e os linfócitos T e B e os Natural Killers sendo as mais especializadas. Nosso sistema imune nos protege desde proteínas não identificadas, fungos, ácaros, bactérias, até chegar nos vírus e são os linfócitos T e os Natural Killers os responsáveis pela proteção e atuação viral.

Os órgãos que compõe esse sistema imunológico são: tonsilas, baço, fígado, linfonodos, timo, adenóide, medula óssea e sistema linfático.

Até aqui coisa de livro, não é!? O importante é como isso funciona. Mas antes preciso falar um pouco sobre a modulação imunológica.

A modulação imunológica não é necessariamente em quantos macrófagos ou linfócitos temos no organismo, mas como eles respondem. Para isso acontecer uma série de mensagens devem ser carreadas pelo organismo. A exemplificar, é habitualmente comum uma gripe iniciar com um espessamento da saliva, pois é através das liberações de secreções que o organismo carreia as primeiras enzimas de proteção do corpo e o sistema linfático começa a fluir com mais eficiência.

O que faz com que essa modulação aconteça? A idade certamente é algo preponderante, as crianças com seu organismo em construção e alerta responde de uma forma acelerada e intensa a qualquer estímulo que o corpo desconheça como adequado. No extremo oposto, o idoso apresenta uma lentidão nessa resposta, uma vez que suas células estão “cansadas” e respondem vagarozamente.

Então quer dizer que os idosos estão desprotegidos? Não, e não. A partir de agora vamos conversar do modo “chinês”, quero dizer, vamos sair da teoria absoluta e entrar em um pensamento prático e aplicável. A perspectiva de saúde no ocidente é um tanto equivocada, vejam bem, na maioria da população que se considera “saudável” se baseia no fato de não sentir nenhuma dor. Quantos pacientes com doenças crônicas já ouvi falando que se considera saudável porque não sentir nada. Não sei quem vendeu esse “peixe” mas fizeram um bom trabalho.

O corpo, ou o sistema imune como um complexo feito de partes flui frente aos nossos hábitos de vida, a citar: trabalho, sono, sexo, atividade física, alimentação, humor. Imagine que cada item citado é o funcionamento de um órgão, e com isso pergunto: se o trabalho representasse o coração e trabalhássemos intensamente sobrecarregando esse órgão, mesmo que não percebemos com a dor, mas com o cansaço, como que o fígado, rim, pulmão, etc iriam trabalhar adequadamente?

Atendo muitos e muitos pacientes que creditam que sua saúde é não sentir nada e comer orgânicos, ou não sentir nada e dormir bem, não sentir nada e fazer atividade física. Nesse momento posso soar exigente… isso não é o suficiente. Quero dizer que o corpo precisa do seu funcionamento total e eficaz para funcionar com saúde. E ai vem um vírus e intervém em todas as áreas frágeis do nosso corpo que creditávamos que estava “saudável”: fragilidade pulmonar (a mais grave de todas), medo, baixa defensiva, má alimentação, noites mal dormidas, etc.

Faço um pedido para todos olharmos para o corpo e suas necessidades. Tem se veiculado duas notícias básicas: os elementos preventivos (própolis, curcuma, limão, fórmulas, homeopatia), e algumas pessoas falando que não adianta nada disso. Venho dizer que ambas correntes estão corretas, vamos esclarecer isso.

Ter tomadas de ação preventiva é excelente e bem-vinda, eu mesmo falo muito sobre isso, mas pensar que isso vai imunizar alguém de alguma coisa é ilusão. O que a prevenção faz então? Ela capacita o corpo a se fortalecer para se o agente externo for fraco nada acontecerá, se for forte ficaremos doentes e nos recuperaremos mais rápido porque temos “armamento” imunológico para tal. Temos que pensar que os preventivos é potencializar a modulação imunológica do nosso corpo, mas podemos sim adoecer com eles. Mas sem eles, nosso corpo fica mais aberto, fragilizado, e isso de longe é algo que desejamos.

Então vamos falar um pouco mais de prevenção. Para o chinês temos o que se chama Zhengqi ou o potencial correto do nosso corpo, ele é criado através do ar que respiramos, pela comida que comemos, e pela nossa força ancestral (o que nossos pais passaram de informação defensiva para o nosso corpo pelo código genético). Assim a atividade física leve ou moderada é um ótimo preventivo, por isso que o Qigong está sendo muito estimulado, uma atividade corporal que trabalha extensivamente a respiração e alongamentos com o objetivo de alinhar o corpo. É através da alimentação que entra o própolis, curcuma, limão em jejum, astragalus (raiz chinesa), muita água, alimentos leves. Tudo isso potencializa nosso organismo para ele ficar alerta.

Pela acupuntura ainda tem a moxabustão e o escalda pé que tem sido feitos extensivamente na China e em outros países.

Bom o que quero deixar claro aqui nesse artigo é que nosso corpo se defende quando potencializamos ele, e a saúde é quando esse corpo oscila, sente, se defende, quando há alarmes, quando dormimos, quando nos alimentamos, quando somos felizes e vibramos no que é positivo.

Não vamos ficar paranóicos com perguntas como: que alimento, ou que ação posso para melhorar minhas células dos linfócitos? Vamos mudar a pergunta para: o que posso fazer para melhorar o meu corpo?

Esse artigo é uma chamado para a conscientização, os eventos atuais é um grito à conscientização, e é um grito alto quase ensurdecedor.